MD ALONSO ADVOCACIA

MD ALONSO ADVOCACIA
Advocacia em Curitiba

2 de junho de 2010

A importância da procuração ao advogado



Primeiramente, cabe dizer que procuração é um documento muito importante. Muito mesmo!
A procuração serve para dizer ao mundo que determinada pessoa agirá em seu nome, com sua autorização e, juridicamente, como se você fosse.

A procuração dada ao advogado para representar o cliente em juízo é conhecida por “Procuração Ad Judicia”. 

Esta procuração terá validade para todos os atos em juízo, exceto aqueles listados no art. 38 do Código de processo Civil:


Art. 38. A procuração geral para o foro, conferida por instrumento público, ou particular assinado pela parte, habilita o advogado a praticar todos os atos do processo, salvo para receber citação inicial, confessar, reconhecer a procedência do pedido, transigir, desistir, renunciar ao direito sobre que se funda a ação, receber, dar quitação e firmar compromisso.


Esse rol de exclusão existe por causa da importância elevada que os mesmo têm. No entanto, é praxe o advogado apresentar ao cliente a procuração com os referidos poderes sem explicar (a) a disponibilidade do cliente aceitar ou não ‘transmitir estes poderes ao advogado, e (b) explicar qual a relevância dos mesmos.

Já que não o fazem, eu explico (superficialmente, mas explico:-):

  • Receber citação inicial – Esta citação tem importância fundamental, pois dá início a causa (e aos prazos decorrentes disso). Enquanto não for citado, o processo não começa. O advogado então terá a responsabilidade de avisar o cliente da existência da citação e agir em tempo hábil para manifestar-se. Se tiver poderes para aceitar a citação, mas não tomar para si a responsabilidade, o processo correrá à revelia, causando danos, muitas vezes, irreparáveis ao cliente. 
  • Confessar – Neste caso, o advogado terá poderes especiais de confessar fatos em nome do cliente. È muito grave isso, pois pode colocar o cliente numa situação difícil. E, no meu entender, nem é bom para o advogado. Sem poderes especiais para tanto, qualquer cosa dita que possa ser entendida como confissão, não poderá ser assim considerada.
  • Reconhecer procedência do pedido – Nesse caso, devemos imaginar que foi contratado um advogado de defesa. Ao contestar o pedido do autor, o advogado do réu poderá reconhecer que o pedido feito pelo autor é procedente. Tem certeza que quer dar este poder ao seu advogado?
  • Transigir – Primeira mente, transigir significa ‘fazer acordo’. Muitos clientes não sabem disso (e nem tem obrigação de saber), e os advogados, em geral, também não explicam. Quer que o advogado faça acordo em seu nome? Não seria melhor que o próprio cliente participasse do acordo.
  • Desistir – Seu advogado poderá desistir da ação em seu nome. Para quê isso?
  • Renunciar ao direito ao qual se funda a ação – Renunciando ao direito não será mais possível pleiteá-lo. Não deveria ter a assinatura do titular do direito? 
  • Receber e dar quitação – o advogado poderá receber dinheiro em seu nome, e dar quitação da dívida, fazendo constar que seu crédito não existe mais em relação aquele que lhe devia. Concorda?
  • Firmar compromisso – O compromisso é um contrato de acordo entre partes. Nesse caso, o advogado assina pelo cliente.Até mesmo por razões estratégicas já que, em uma reunião para fazer acordo em que o advogado comparece em nome do cliente, é possível adiar a assinatura do compromisso se o advogado não tiver poderes para assinar. Nesse caso o documento poderá ser levado ao cliente, e pode-se ganhar algum tempo (isso pode ser bom ou ruim para as duas partes, é uma variável a ser analisada) .

Não quero dizer com isso que nunca devam ser dados poderes especiais aos advogados. Eles existem porque são úteis. Mas sendo poderes decisivos, deve ser considerada a circunstância (se exige tais poderes ou não) e também o grau de confiança no advogado. 

Não digo que os advogados são desonestos (são os outros que dizem...:-), mas não acho bom dar ‘poderes especiais’ a um advogado que você acabou de conhecer e ainda não teve tempo de estabelecer uma relação de confiança.

Além disso, caberá avaliar qual a situação do cliente e elencar na procuração somente os poderes que sejam coerentes com a causa. Por exemplo: para que dar poderes de fazer acordo se o cliente está decidido a não aceitar nenhuma forma de acordo. Ainda, no curso do processo, caso o cliente mude de idéia, é possível apresentar outra procuração com o poder necessário ao momento.

Sim, existe a outra versão dos fatos: os advogados colocam um rol amplo de poderes especiais (muitas vezes padronizados para todos os clientes) porque é mais prático. Dessa forma, não é preciso analisar a necessidade individual de cada cliente, nem chamar novamente o cliente a assinar procuração com poderes especiais caso surja situação que requeira tal procedimento.

Minha opinião é de que, não importa como o advogado proceda – artesanalmente ou de forma mais rápida/prática – a importância da procuração e o significado dos seus termos deve SEMPRE ser explicado ao cliente. Cabe a ele decidir o que ele aceita assinar. 

E melhor ainda, dessa forma você educa o cliente, também um cidadão, a ler e considerar todos os documentos que assina.

veja também o post: procuracao-instrumento-do-contrato-de-mandato

mais informações: dúvidas sobre relação advogado-cliente

94 comentários:

  1. ok, ele me apresentou uma procuraçao em que lhe confiro amplos gerais e ilimitados poderes para o foro em geral, com os da
    cláusula ad e extra – judicia, mais os especiais para receber citação inicial e outras,
    confessar, acordar, reconvir, reconhecer a procedência do pedido, transigir, desistir,
    renunciar ao direito sobre o que se funda a ação, dar quitação e firmar compromisso;
    podendo ainda requerer justificações, notificações, retificações de nome e área de terrenos,
    inventários, assinar termo de compromisso de inventariante, concordar e discordar com
    avaliações, cálculos e partilhas; requerer seqüestro de bens, indicar bens à penhora,
    protestar, embargar, remir, interpor recursos de qualquer espécie, requerer abertura de
    Inquérito Policial, arrolar testemunhas, enfim, praticar todos os atos necessários ao bom e
    fiel desempenho deste mandato, no interesse do outorgante perante qualquer repartição,
    juízo, instância ou Tribunal, podendo substabelecer no todo ou em parte, com ou sem
    reserva de poderes.

    PODERES ESPECIAIS: Propor ação de manutenção de posse junto a VARA DE
    SUCESSÕES E REGISTROS PÚBLICOS DO FÓRUM DA COMARCA

    devo assinar, o que posso pedir para ele alterar?
    ou que assinarei apenas a procuraçao ad judicia? isso??

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. (removi as postagens similares, que sairam triplicadas)

    Olá, Anônimo.
    Parece-me que seu advogado usa uma procuração 'um modelo para todos'. Além de muitas outras coisas que eu acho sobre tudo isso que você me conta (mas são opiniões técnicas, e não o objeto da sua pergunta) entendo que o mais importante é: pergunte ao seu advogado quais poderes serão necessários no seu caso (manutenção de posse, certo?) e o que cada um deles significa.
    Ele deve ter paciência e te explicar tudo de forma que você entenda bem o que está assinando. (Inclusive, alguns poderes expressos são poderes inerentes à atuação do advogado como procurador da parte, tal como arrolar testemunhas).
    Não vale dizer que "tem que confiar no advogado" ! O advogado é que deve prestar serviço ao cliente de maneira transparente!
    Como expliquei no post, nem sempre é interessante passar todos os poderes especiais ao advogado, até por razões estratégicas.
    Quanto ao o que você pode pedir para alterar... bem, pode alterar tudo e dar poder especificamente para propor a ação contratada, e só.
    E, aos advogados: lembrem-se, não se confunde poderes "especiais", que é um poder 'além do ordinário' com poder específico, que significa somente nomear o poder que é conferido (pode ser um poder especial ou não).

    ResponderExcluir
  5. Bom dia!
    Em 2003 contratei uma dvogado para adentrar com um processo de conciliação de divida, referente ao financiamento de um veiculo (foi concedida mais não citada a financeira) e, em 2004 a financeira adentrou em uma outra vara com processo de busca e apreenssão e, foi concedida a liminar e, entrreguei o veiculo, ai foi uma "briga judicial interminavel", acabei perdendo a ação e, o valor depositado em juizo, foi inesplicavelmente sumido.
    No decorrer destes processos contratei cinco advogados, intercalado e, nem um deles conseguiu dar uma resposta positiva a minha pessoa.
    Com isso, venho solicitar aos senhores que me responda o seguinte: Eu não quero mais contratar advogado, pois não tive sorte em encontrar um profissional que me desse uma posição positiva, preciso saber se eu como a parte interssada, posso adentrar com pedido de desarquivamento do meu processo e, solicitar os valores depositados em juizo que lá estão?
    Obrigado!
    Pedro Barbosa

    ResponderExcluir
  6. Olá Pedro! Não sei se você pode pedir o desarquivamento sozinho. Nesse caso, o melhor a fazer é já preparar uma petição (modelos de petição de desarq. na internet) e ir até o fórum e vara onde está o seu processo e perguntar ao serventuário. Ele lhe explicará.
    Completo dizendo que entendo sua decepção com advogados; nós, advogados, sentimos o mesmo em relação a juízes:-)
    Humor à parte, já que vc não quer mais gastar dinheiro com advogado, requeira um advogado público: há universidades que prestam esse serviço, a OAB, o Estado (quando tem a estrutura da Defensoria Pública...).
    De qualquer forma, o conselho que te dou para o futuro é: faça sempre um contrato detalhado com o advogado (importante que você entenda bem o contrato, senão, peça que o advogado lhe explique ou mude termos muito técnicos); tire todas suas dúvidas com o advogado (sobre o que é exatamente seu processo, como funciona o andamento processual... ).
    O advogado pode (deve)lhe fornecer relatórios periódicos, e isso pode estar no contrato.
    Além de tudo isso, cabe dizer que às vezes simplesmente se perde a ação. O advogado contratado pode não ter explicado muito bem como tudo aconteceu e por isso a sensação (maior) de injustiça.
    Talvez seja o caso de ligar para o último advogado que vc contratou e perguntar exatamente o que aconteceu no seu processo (se não houve nenhuma grave animosidade entre vocês e ainda der pra conversar com civilidade).
    Como eu disse, há chance do(s) advogado(s) não terem sido culpados (as vzes são, é verdade, mas nem sempre, e nem todos!). Um milhão de coisas podem ter acontecido...
    Também cabe dizer que se o advogado agiu com incompetência exagerada (esqueceu prazo, foi negligente no processo, etc.), cabe denúncia no tribunal de Ética da OAB, e até mesmo processo cível contra o advogado, por perdas e danos. Esta denúncia não pode ser anônima e é preciso apresentar provas. E para entrar com processo vai precisar de outro advogado:-) rsrs
    Abraços. Mariana Alonso

    ResponderExcluir
  7. Obrigado! Dra. Mariana
    O Mundo Juridico é muito importante na vida do cidadão e, sempre temos que confiar nos profissionais da area, o que estava querendo era exatamente saber se haveria possibilidade da propria parte verificar o andamento do processo, direto na secretaria da vara que está tramitando o processo. (ali estará a resposta que preciso se houve ou não negligencia de alguem.

    ResponderExcluir
  8. Dra. Mariana, com o arquivamento do processo eu perco os valores depositados em juizo?
    A Sra. teria um modelo de desarquivamento e, dentro desta petição solicitar os valores depositados em juizo na ação de consignação de dividas?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  9. Olá Pedro. Primeiro requeira o desarquivamento - eu não forneço modelo pois não tenho peças de minha autoria circulando na rede, mas tem quem disponibilize. Depois, recomendo que procure um advogado, talvez um amigo, para lhe explicar o que aconteceu no seu caso específico.
    Depois dessa consulta inicial, você decide se é o caso de solicitar os valores (que podem ter sido usados para pagar a dívida, ou parte dela).
    att. Mariana Alonso

    ResponderExcluir
  10. Dra Mariana,para entrar com uma ação contra uma determinada empresa é realmente necessário assinar uma procuração para que o advogado possa agir ou a ação pode ocorrer de uma outra forma?
    É a primeira vez que utilizo os poderes judiciais para tentar resolver um problema ou pelo menos ser ressarcida por conta deles.Confesso que quando recebi a procuração para assinar senti muito receio ,pois apesar de leiga reconheço os poderes de um documento como este.
    Certa de que receberei resposta,atenciosamente,agradeço.

    ResponderExcluir
  11. Olá. A procuração é imprescindível ao advogado; sem ela, não é possível (por lei) representar juridicamente o interesse de outrem.* No entanto, recomendo que haja confiança suficiente no advogado contratado, no sentido de acreditar que ele é responsável e competente para trabalhar em seu melhor interesse.
    Recomendo também colocar no texto da procuração o objeto do contrato de mandato que se estabelece, ou seja, colocar a razão da procuração. Se o procurador/advogado agir contra esses interesses, caberá responsabilizá-lo por isso.
    * Nota: há possibilidades jurídicas que 'adiam' a necessidade da procuração, mas não é o caso. Acontece em situações de urgência, como quando o cliente encontra-se preso, por exemplo.
    abs. Mariana Alonso
    MD Alonso Advocacia

    ResponderExcluir
  12. Sou a anônima do dia 23 de setembro.Venho através deste agradecer a agilidade de sua resposta e fazer-lhe uma nova pergunta:
    Minha advogada me confessou que usa aquela procuração "um modelo para todos",posso pedir a ela que ao invés de (...)"conferindo a mesma o mais amplo poder em direito permitidos para propor toda e qualquer ação"...) insira no texto (...)"conferindo a mesma poderes apenas para propor a ação contratada"?
    se a resposta for afirmativa esclareça-me se de alguma forma eu seria prejudicada por insuficiência de poderes ao advogado.
    Atenciosamente,agradeço.

    ResponderExcluir
  13. A procuração "ad judicia" é igual a procuração "ad judicia et extra"? Elas se referem aos mesmos assuntos?

    ResponderExcluir
  14. Olá, em resposta aos questionamentos, esclareço que o blog tem, sim, a intenção de prover informações/conhecimento mas, mais que isso, pretendo disseminar uma cultura na qual o advogado seja mais acessível. E essa acessibilidade refere-se principalmente ao cliente. Nesse sentido, recomendo que todas as dúvidas que o cliente tenha sejam repassadas a(o) advogada(o) e que a relação entre cliente e prestador de serviço tenha o necessário espaço para troca de informações, com confiança.

    ResponderExcluir
  15. Olá, companheiros. Um advogado entra na sla de uma comissão sindicante e pede vistas e cópias contra determinado funcionário. Questionado se o mesmo é representante do acusado, ele responde que sim. Questionado se o mesmo dispõe de uma procuração, o mesmo diz não possuir no momento, porém, segundo o mesmo, o estatudo da OAB lhe dá um prazo de cinco dias para apresentara procuração e para dar celeridade põe de próprio punho que é o patrono do acusado que se dispõe a Comissão, dentro do prazo, apresentar a procuração. Dois dias depois o Advogado comparece juntamente com uma testemunha que fora convidada pela comissão. Abertos os trabalhos foi consignado no Termo de Declaração o nome do advogado e durante o interrogatório foi oportunizado ao advogado indagar a testemunha. Uma semana depois convocado o acusado, o mesmo adentra a sala da Comissão com um outro advogado. Questionado se havia dado procuração a outro advogado, o acusado informou que não. Que não autorizoou a nenhum outro advogado a pegar cópias de denúncia contra sua pessoa; O que fazer diante de tal procedimento ? escrevam para o meu email: liviobernard@hotmail.com

    ResponderExcluir
  16. OLA!! GOSTARIA DE SABER SE POSSO NA PROCURAÇÃO RETIRAR A CLAUSA 38, Ñ QUERO DAR ESSES PODERES AO ADVOGADO, MAIS PRECISO PASSAR UMA PROCURAÇÃO PARA ELE DE DIVORCIO,POREM MINHA DUVIDA É SE RETIRAR DA PROCURAÇÃO ESSA CLAUSA ELA VALERA???

    ResponderExcluir
  17. OLÁ MARIANA
    BOM, TENHO UMA DÚVIDA E GOSTARIA DE SUA AJUDA PARA ESCLARECER; NECESSITO VIAJAR Á TRABALHO DURANTE 1 ANO; EU E MINHA FILHA DE MENOR (16 ANOS) SAMOS PENSIONISTAS. TENHO UMA FILHA CASADA DE 30 ANOS; E QUERO FAZER UMA PROCURAÇÃO PARA ELA DE PLENOS PODERES PARA QUE POSSA RESOLVER QUALQUER ASSUNTO DE MEU ENTERESSE E DE SUA IRMÃ DE MENOR. CABE NESSA PROCURAÇÃO "AD JUDICIA E "AD NEGOTIA"; OU SO POSSO FAZER COM UM ADVOGADO ESTA PROCURAÇÃO? SERÁ EM CARTÓRIO OU EM UM FÓRUM?

    DESDE JÁ MEUS AGRADECIMENTOS.

    ResponderExcluir
  18. Olá Alcione, vc pode fazer uma procuração pública em cartório (não necessita advogada). Poderá incluir a cláusula 'ad judicia' que significa que ela poderá contratar advogado em seu nome, mas uma procuração de plenos poderes já é o suficiente (o catório sabe como fazer, não precisa se preocupar com o conteúdo). mas faço uma ressalva, caso tenha conta em banco e sua filha vá cuidar disso, faça uma segunda procuração pública específica para o banco (pode inclusive pedir o modelo próprio que eles fornecem) porque eles são bem 'chatinhos' com isso, e reterão a procuração na agência. Então é isso: faça um proc. pública 'geral' e uma específica para cada banco que vc tiver conta (pública também).

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde, quanto a dar a procuração em nome no advogado, meu esposo faleceu.
    Então fiquei sabendo que a ação que ele impetrou e tantos outros junto, o dinheiro foi para o bolso do advogado, que não repassou nem um centavo aos requerentes.
    Agora eu pergunto, podemos confiar tanto assim ?
    Agora essa ação tenho que entrar contra a filha dele, que nem sei o nome dela e nem o endereço, então ficará perdida para sempre, pois o advogado morreu, foram ações de Policias Militares para reaver seus direitos.
    O advogado DR Osvaldo D'ast de Lima.
    Se alguem souber alguma coisa sobre esse assunto eu agradeço.

    ResponderExcluir
  20. Oi Dra. Mariana! boa noite,
    Estou a entrar com ação de recuperação de um terreno invadido, e estão construindo uma casa, o ADVOGADO ME PEDIU: XEROX DA CERTIDÃO DE CASAMENTO, RG, CPF MINHA E DA ESPOSA ASSINATURA DE AMBOS NA PROCURAÇÃO, e nesta vem com amplos e total poderes, porem não identifica a ação! que faço? me ajude a fazer o que é mais seguro e correto. Abraços, obrigado, meu e-mail:humbertogomes224@gmail.com

    ResponderExcluir
  21. Olá Humberto,
    esta resposta servirá a muitas pessoas que tem me questionado acerca da procuração que seus advogados fazem.
    A maioria dos advogados usa uma procuração ampla, generalizada; este tipo de procuração tem finalidade de servir para todos os clientes, em (quase) todas as causas; além disso, há os que não colocam a finalidade da procuração (o nome da causa/ação/processo) para que a procuração fique ainda mais genérica, e não precise ser revisada ou alterada para cada cliente de forma específica.
    Não tem nada de errado nisso, não significa que o advogado tem alguma intenção de fazer mau uso da procuração, mas é uma prática que eu, pessoalmente, não faço (sou uma perfeccionista, e faço com o cliente o que gostaria que outro advogado fizesse comigo).
    E mais, sempre que se ingressa com uma ação será necessário juntar ao processo documentos relativos aos autores e ao caso. O advogado é quem avalia quais documentos são necessários.
    Então deixo dois conselhos fundamentais: advogado se escolhe na confiança (e não pelo preço); tendo confiança, é possível conversar tranquilamente com o advogado para tirar dúvidas e pedir que novos termos sejam postos (ou retirados) da procuração.
    Lembre-se que o advogado é um prestador de serviço e você é o cliente!

    ResponderExcluir
  22. Por favor, tire-me uma dúvida!
    Pedi no Cartório Civil de Itaquera, se éra possivel emitir uma procuração de plenos poderes, embora especificando em detalhe a sua finalidade. Trata-se de uma pessoa pensionista do INSS, internada numa clinica de repouso, em consequencia de um AVC e está totalmente impossibilitada de locomoção, visto isto ela precisa nomear a sua irmã como sua bastante procuradora e cuja procuração para melhor desenvolvimento de defender os seus direitos, na minha opinião deverá ser bastante ablangente e para que não cause embaraços junto as instituições que forem necessárias, tais como bancos, inss e outros. obrigado aguardo resposta.

    ResponderExcluir
  23. Olá!
    Eu fui participar de uma licitação e vi que uma empresa fez uma procuração para um fúncionário público representar a sua empresa no ato da abertura do processo, mesmo sabendo que o representante não tem vinculo com a empresa, ele pode ter procuração em seu nome para representa-la em licitações?

    ResponderExcluir
  24. Fui procurador um advogado indicado pelo filho de um dos herdeiros. Ele fez Uma Ação de Inventariante, me colocando como suplicante para ser inventariante. Não chamou os outros herdeiros. Cobrou R$ 5.000,00 de honorários antes de começar o inventário paguei. Ele mandou para o juiz que dei despacho para pagar taxas judiciasi no valor R$ 4.000,00, não quiz pagar ele não fez nada e acabei de pagar a ele. Perguntei a ele se eu podia desistir da ação ele disse que eu teria que pagar a ele todo valor que assinei na procuração. Valor total R$ 10.000,00. Os imóveis de herança valem só 200.000,00. Como posso sair dessa situação ele não falou das taxas e outras custas que viram e os outros herdeiros ele nem quer saber, só quer que eu assine procuração também em cartório e que aceite as ideias dele , estou com medo acho que caí no fundo do poço, por favor me oriente. Como sair dessa situação? desde já grata.

    ResponderExcluir
  25. Quanto a pergunta de 2 de agosto, oriento:
    1. há contrato escrito entre advogado e cliente? parece que não. então não foi estabelecida obrigaçãoc de pagar integralmente o advogado. é só não pagar. Pode acontecer dele entrar com processo contra o cliente, e esse será outro problema para resolver.
    2. todo processo de inventário com bens tem imposto a ser pago. primeiro: peça o recibo de pagamento (recibo do ITCMD); segundo: agora que o imposto foi pago, o processo não terá mais grandes custos (se a partilha for amigável). O valor do imposto será abatido do total a receber e todos os herdeiros deixam de ganar um pouco para fazer o pagamento em rateio.

    Veja também (aqui neste blog):

    http://saibamaisdireito.blogspot.com/2009/11/custas-do-processo.html

    http://saibamaisdireito.blogspot.com/2008/10/pra-comear-o-inventrio-o-processo.html#uds-search-results

    http://saibamaisdireito.blogspot.com/2010/09/procuracao-instrumento-do-contrato-de.html

    http://saibamaisdireito.blogspot.com/2008/07/justia-gratuita.html

    ResponderExcluir
  26. Olá, Dra. Mariana.
    Tenho um amigo que contratou uma advogada num processo contra duas empresas, no qual ele havia sido prejudicado, tendo seu nome indevidamente ido parar no SPC/SERASA por conta de uma linha telefônica não autorizada em seu nome, e outra por dívidas em um cartão, onde falsificaram sua assinatura.
    A causa foi ganha e a juíza decretou que o valor pago a cada parte, em comum acordo, seria efetuado em até 15 úteis.
    Já se passaram mais de dois meses e meu amigo não recebeu nenhum contato de sua advogada e, tampouco, o valor que deveria ser depositado em sua conta.
    Ele entrou em contato com a advogada, que manteve a história de que poderia demorar mais que os 15 dias úteis mesmo.
    Vale lembrar que não ficou estipulado exatamente, entre meu amigo e sua advogada, o valor que a mesma receberia pela causa: 20 ou 30% do montante e que ele não passou o número da conta para a advogada, que insistiu que o valor poderia ser depositado na conta dela e, após isso, ela repassaria o valor devido ao seu cliente.
    Isso é normal? Se a juíza afixou máximo de 15 dias úteis para o depósito e, até o dado momento, a advogada mantém o fato de o valor não ter sido depositado.
    Como proceder?

    Desde já, obrigado!

    ResponderExcluir
  27. Corrigindo: em até 15 dias úteis**

    ResponderExcluir
  28. Por favor, doutora! Mande-me resposta sobre o meu problema! Meu comentário anterior foi feito hoje (12/11/2011) a tarde! Obrigada

    ResponderExcluir
  29. sobre o coment. anterior: Não entendi! seu comentário é o de 17 de agosto? por favor, copie e cole o texto e envie para contato@mdalonsoadvocacia.com.br.
    Já te adianto que não faço consultas que são muito específicas, com detalhamento dos casos. Me manisfesto sobre os comentários que entendo serem mais generalizados e que podem ajudar todos os leitores, de modo geral.
    mas envie sua dúvida e eu vejo no que cabe eu me envolver e como posso te ajudar.
    não deixe também de ler os outros posts indicados neste texto (ao final).
    abs.
    abs.

    ResponderExcluir
  30. para não deixar nínguem "tão" sem resposta, existe um site formado por advogados que se prontifica a responder questões jurídicas específicas.
    Como o objetivo deste meu blog é compartilhar conhecimento, divido com vcs esta ferramenta útil:
    http://www.meuadvogado.com.br
    abs.

    ResponderExcluir
  31. meu advogado me pediu uma procuraçao para entrar com pedido de seguro de vida e nescessario isso e o dinheiro quando cair vai cair na conta dele ou dos meus filhos

    ResponderExcluir
  32. assinei uma procuração e me arrependi como devo proceder agora?

    ResponderExcluir
  33. Ola ,boa noite Dra Mariana.
    Gostaria de saber como faço para revogar uma procuração particular,dada a um advogado.

    ResponderExcluir
  34. olá meu nome é Cleide, gostaria de saber se já assinado a procuração posso assinar outra a qual o advogado pede.Motivo, saída do escritório para outro,obrigado!

    ResponderExcluir
  35. Dra. Mariana, contratei um advogado para reever um imovel meu que foi reevendido. Ele me passou esta procuração para eu assinar, o que devo retirar desta procuração? Ou assino com todos estes poderes? MOdelo abaixo. Me responda o mais rapido possivel. Obrigado.

    A quem confere amplos poderes para o foro em geral, com cláusula ad-judicia, em qualquer juízo, Instância ou Tribunal, podendo propor contra quem de direito as ações competentes e defender nas contrárias, seguindo umas e outras, até final decisão, usando dos recursos legais e acompanhando-os, conferindo-lhe, ainda, poderes especiais para confessar, desistir, transigir, firmar compromissos ou acordos, receber e dar quitação, propor execução, requerer Falência, Habilitar Crédito, propor Ação Ordinária, procedimento sumaríssimo, ação rescisória, embargos, agravos, representando ainda o outorgante, para o fim disposto nos artigos 447 e 448 do Código de Processo Civil, agindo em conjunto ou separadamente, podendo ainda substabelecer este em outrem, com ou sem reservas de iguais poderes, dando tudo por bom, firme e valioso. E especialmente para:

    ResponderExcluir
  36. olá Anônimo, este não é um blog de consultas.
    As vezes respondo questionamentos que entendo servir ao interesse geral, e não particular.
    Sendo eu advogada, informo que atualmente, consultas jurídicas são cobradas por hora. podendo ser feitas por telefone, email ou pessoalmente, caso esteja em Curitiba.
    Fica mais barato conversar com seu advogado:-)
    se preferir: www.mdalonsoadvocacia.com.br

    ResponderExcluir
  37. Olá, Dra. Mariana!
    Uma procuração sem as reservas da cláusula ad judicia para interpor ações, recursos ou defesas perante qualquer Instância, Juízo, Tribunal ou Órgãos Públicos com os poderes
    de acordar, firmar compromissos e termos de caução implicam em que?

    ResponderExcluir
  38. Doutora, desde junho de 2011 eu me separei, e ficou documentado que meu ex teria que me dar dinheiro de uma divida até dia 26 de julho 2011, e vender o carro, ficou estipulado no caso do carro que ele terminaria de pagar as parcelas restantes assumiria toda a divida venderia e daria a minha parte...mas até agora nada...
    Contratei um advogado em Janeiro de 2012, e até agora ele me manda esperar, fiquei sabendo que eu poderia pedir a apreensão do carro e o havará para poder vender, quando informei a meu advogado ele falou que era um absurdo ,que não teria como fazer isso, mas que iria se informar e me daria a resposta. Depois de 2 dias ele me mandou um email ironicamente ele me escreveu assim: "Nãoooooooooo cabe" busca e apreensão do veiculo só a sentença e o que eu propus...detalhe esse advogado é particular,nunca me atende dificilmente falo com ele...e me informaram que ele esta saindo com meu ex marido para festas e baladas...fiquei desconfiada...como devo proceder? gostaria de trocar de advogado, qual percentual que devo pagar a ele até esse ponto que ele chegou? que particularmente até agora ele não fez nada a não ser, não me dar a devida atenção como cliente e ser ironico quando me responde algo...
    Por favor me ajudem estou perdida...
    Grata

    ResponderExcluir
  39. Olá post de 25 de março (meu aniversário!) !
    Sinto pela sua situação, mas somente uma outra assessoria jurídica pode lhe dar as informações precisas.
    Você deve entrar em contato com outro advogado(a), que vai olhar os autos do processo (vai ter que ir ao fórum pegar o processo e dar uma olhada) para lhe dizer como está o andamento do seu caso. Independente disso, se vc não está satisfeita com o tratamento que recebe, deve mesmo mudar de advogado. O quanto vc deve pagar em caso de desistência deve estar no contrato que vc assinou com o advogado. Se não há contrato, veja se entra em acordo amigável e peça conselhois ao seu novo(a) advogado(a). Infelizmente, é certo que isso representará certo custo pois vc estará contratando outro profissional. Boa sorte!
    PS: vc pode tb procurar a OAB (procure no goggle) para formalizar uma reclamação contra qualquer advogado, quando for o caso.

    ResponderExcluir
  40. Ola...
    Acho que fiz uma bobeira. Foi em um advogado para entrar com uma ação trabalhista contra a empresa que trabalhei, foi atendido pelo advogado que me informou que meus direitos não foram respeitados na recisão contratual. Então eu assinei o contrato de prestação de serviço e a procuração para que ele me representar, porem eu não fiquei com nenhuma copia de ambos os documentos! E não consigo mais contactar o advogado. O que devo fazer?

    ResponderExcluir
  41. Olá Sandrinho1983. Se não encontrar o seu advogado (ele não tem escritório?), o melhor a fazer é procurar outro advogado para cuidar do seu caso. Este novo advogado saberá as providências que vc precisa tomar. mas tome cuidado para ler os documentos que assina e ficar com cópia dos mesmos, e também pergunte ao novo advogado todas suas dúvidas, pois ele é contratado para te ajudar, e não para ser mais um problema;-)

    ResponderExcluir
  42. Bom dia Doutora Mariana!
    Gostaria de saber se uma procuração onde consta número do RG errado do Outorgado (um dígito apenas errado) e número da OAB/PR consta um número a mais e não achei o numero na OAB.

    Na folha de Contratos de Honorários o número de OAB está correto, mas só nesta. O endereço do profissional também está com o CEP errado em um dos dígitos, tem como corrigir ainda? Quem devo procurar? Isto pode causar problema futuro?Pesquisando na net pelo nome do profissional, encontrei os erros.

    Se é normal existir tantos erros assim e porque isso e qual poderia ser o motivo disto?
    Por favor, tenho como anular a procuração e fazer outra, uma vez que foi contratado um profissional e o profissional passou para este com os números deste tudo errado.

    Obrigada.

    ResponderExcluir
  43. Olá Anônimo 07 de abril! Provavelmente foram erros de digitação. Não há problema nisso... o máximo que pode acontecer é o juiz pedir novo procuração, com os dados corrigidos. Converse com seu advogado (e ele vai conversar com a estagiária dele:-)Abs.

    ResponderExcluir
  44. Dra. Mariana, passei uma procuração que confere os poderes sem a reserva da clausula ad judicia, podendo interpor qualquer ação, recurso, defesa perante qualquer Instância, Juízo, Tribunal ou Órgãos Públicos, podendo variar, desistir, promover notificações judiciais e extrajudiciais, qualquer medida cautelar, transigir, acordar, firmar compromissos e termos de caução, receber e dar quitações, receber e levantar alvará. Não consta o nome da ação. Poderia o advogado usar minha procuração extrajudicialmente para negociar em meu nome (perante um cartório de notas e títulos, por exemplo, já que é órgão público) ou assinar uma nota promissória em meu nome?
    Grata!

    ResponderExcluir
  45. Meu pai pagava um seguro de vida,ele veio a falecer e os filhos nao recebeu nada do dinheiro,peguei uma advogada que disse pra pagar uma quantia em dinheiro,até hoje ela não deu numero do processo,mudou o telefone,ñao conseguimos falar com ela ja faz 8 anos posso recorrer com outro advogado,os documento ficaram com ela.

    ResponderExcluir
  46. Assinei uma procuração a mesma advogada amiga comum minha e de minha ex companheira. Só que ao apresentar-me a petição homologado vi que estava em desacordo com o cobinado, pois ela nao separou um imovel antes da união estavel. A Advogada não deveria apresentar-me para vista a petição antes da homologação ? Sei que posso pedir anulação da partilha, mas como provar ?
    Não fizemos contrato de prestação de serviços.

    ResponderExcluir
  47. Olá dra.
    Assinei uma procuração para uma advogada, em respeito a uma ação de indenização, nela estava mais ou menos assim: dando poderes dentro e fora de juizo, para receber, dar como quitado, fazer acordos, desistir entre outros..
    sendo leiga, assinei, pois a advogada disse que isso era imprecindível para que ela pudesse trabalhar no processo. Mas lendo o post fico com a dúvida, era necessário ser fora de juizo? e no caso ela pode receber por mim? ou somente assinar como foi recebido? era necessário esses poderes a ela conferidos?
    Desde já agradeço pela atenção.

    ResponderExcluir
  48. Prezada Mariana: já dois advogados com quem tentei iniciar uma causa puseram a malfadada cláusula de poderes especiais na procuração, recusando-se a retirá-los, sob a argumentação de que "é a prática do escritório". Incomoda-me especialmente o poder de receber valores. O que posso contra-argumentar, de maneira que a proposta seja irrecusável para o advogado? Como posso forçar que os valores sejam pagos, pelo réu, de maneira separada, para garantir que nem eu possa pôr a mão no dinheiro do advogado, nem ele a mão no meu? Obrigado!

    ResponderExcluir
  49. Olá Unknown. Não existe proposta irrecusável;-) Quanto aos advogados, se vc não se entendeu com eles nem na procuração, melhor continuar procurando... Para que os valores sejam pagos em separado, basta o advogado juntar aos autos no processo, no momento da expedição do alvará para recebimento de valores, o contrato de honorários, que o juiz respeitará o contrato e mandará expedir duas ordens de pagamento, uma para o cliente uma para o advogado (mas isso não tem nada a ver com o réu...). Todo advogado sabe disso!
    Agora, se não há confiança no advogado então nem inicie uma contratação.
    Obs: na prática, o advogado receber valores facilita a vida do profissional, pois ele pode ir sozinho fazer isso - sem ter que marcar horário e acompanhar cada cliente seu... Não há problema se o contrato é bem feito e a relação transparente e ética.
    Obs II: advogado bom custa mais caro... talvez realmente não encontre um tratamento personalizado se o plano é pagar somente ao final da ação. Pese os pró e os contras, mas lembre-se: o barato pode sair caro!
    Obs III: "é a prática do escritório" não é argumento válido! não diz nada! peça pra pessoa pensar numa resposta melhor da próxima vez;-)

    ResponderExcluir
  50. Mariana,me tira uma dúvida.Quem assina procuração é o advogado ou cliente? eo requerimento judicial quem assina o advogado ou cliente?

    ResponderExcluir
  51. Oi. quem a assina a procuração é o cliente. Com a procuração assinada o advogado ganha poderes para REPRESENTAR o cliente, ou seja, agir em nome dele. Assim, quem assina todos os requerimentos judiciais (petições) é o advogado.
    Algumas situações criminais exigem a assinatura de ambos nas petições, mas é exceção. Abs

    ResponderExcluir
  52. Obrigado Mariana tiro minha dúvida =)

    ResponderExcluir
  53. Olá,meu nome é Bruna,sou separada,tenho 2 filhos e,há uns 15 dias,procurei um advogado para entrar com o processo de guarda e 'visitas'..O advogado cobrou R$1.500,parcelei em 15vezes mas me precipitei em contratar os serviços dele pois percebi que não tenho como pagá-lo!Minha dúvida é:Posso desistir do processo,sem pagar nada??

    ResponderExcluir
  54. Boa Noite,

    Minha colega de trabalho entrou com um pedido para recebimento de pensão por morte, seu ex-marido era militar. Contratou os serviços de uma advogada no munícipio onde morava, no entanto, percebeu que a advogada não estava correndo atrás das coisas e tal. Ai resolveu cancelar a "parceria", mandou via correio um documento cancelando a procuração e recebeu hoje por correio um documento que teria que pagar R$ 19.000,00 para a Advogada e o MP colocou que o pagamento deverá ser efetuado em 3 dias, pelo serviço prestado porém ela praticamente não prestou nenhum serviço? Isso esta certo? Ela terá que pagar ?

    ResponderExcluir
  55. olá!mariana minha mãe estava movendo um processo de reivindicatória mas ela veio a falecer no ano passado agora saiu o resultado ela ganhou o proscesso esse processo é válido pra min ou tenho que iniciar um novo processo em meu nome?

    ResponderExcluir
  56. Olá Vaninha, será necessário contratar advogado para que o valor a receber faça parte de processo de inventário. Caso vc já seja a inventariante, em processo já instaurado, o advogado deverá pedir o valor nos autos do processo da ação reivindicatória.
    visite também : www.mdalonsoadvocacia.com.br
    Abs.
    nota: neste blog vc tb encontra informações sobre inventário.

    ResponderExcluir
  57. Dra. Mariana Alonso, completamente leigo em justiça, assinei 3 procurações que um advogado me pediu para me defender numa causa trabalhista. Ele não me deu nenhuma cópia e não me lembro o que dizia nesta procuração. O que o advogado pode estar fazendo com minhas procurações e o que devo fazer? Obrigado!

    ResponderExcluir
  58. Prezado,
    Saudações!
    Há 3 anos e meio entrei com um processo de 1009 páginas,na esfera trabalhista e, mesmo tendo todos os pareceres favoráveis (TST), simplesmente eu não recebia... consegui a lista de bens do réu, os advogados fincaram um acordo, que "disseram ser atraente", eu aceitei pelo desgaste, tudo foi dividido em 10X, a primeira parcela foi paga em 10/07/2012 e até hoje os advogados simplesmente alegam atraso na guia, depois do correio, depois de favores do gerente...enfim, uma enxurrada de desculpas que não compreendo. Consegui, com a advogada da outra parte o ID Depósito e constatei pela aba do Judiciário do CEF que já não existe guia de pagamento para impressão, o que significa que receberam e não repassaram... minha dúvida: o que devo fazer? eles não atendem, não justificam... posso, a essa altura cassar a procuração com direitos de RECEBER? (não me lembro se tinha esse alcance...) mas posso receber diretamente no Banco, uma vez que a Guia vem em meu nome, e o meu CPF e ID confiram minha titularidade? e repassar a eles os honorários devidos? Desculpe os muitos questionamentos, mas foram anos de muita angústia e, aceitei acordo para ter paz e não consigo... Espero que possa me ajudar! Antecipo agradecimentos

    ResponderExcluir
  59. Olá. Faça uma denúncia na OAB de seu Estado. O Tribunal de ética da OAB vai pedir explicações aos Advogados e vc saberá o que aconteceu. se houve apropriaçao do dinheiro, caberá ação cível e criminal. A OAB irá orientá-lo

    ResponderExcluir
  60. Agradeço muito sua resposta... estava receosa em fazer a denúncia, mas vou procurar os meios e usar a OAB para obter os esclarecimentos, que de direito, deveriam ser dados a mim pelos meus procuradores... é uma lástima que tenha que ir até a esse ponto para ter propriedade do que é meu... mas enfim, é Brasil! Obrigada de verdade!

    ResponderExcluir
  61. Boa tarde Doutora,

    Preciso que me ajude. Qual o caminho real que percorre um depósito judicial desde o CEF até o cliente? Detalhes: Processo trabalhista, processo corre em comarca vizinha da do depósito. Os advogados devem ir sacar no banco de origem? devem pedir ao juiz que oficie a CEF a fazer a transferência? e quantos dias de atraso são considerados "normais" nesse caso, antes que alguém faça alguma coisa?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  62. Doutora, só completando o post acima: trata-se de depósito judicial, 1ªparcela de 10, dada em pagamento de acordo homologado. Na guia, consta meu nome e do reclamante.
    Isso aí!

    ResponderExcluir
  63. Corrigindo: meu nome e do RECLAMADO.

    ResponderExcluir
  64. contratei uma advogada que impetrou duas açoes, as duas ações foram extintas sem julgamento de merito.ela nunca me explica o porque isso aconteceu.logo vou perder o prazo para propor novamente as ações, o que devo fazer

    ResponderExcluir
  65. Boa noite,

    Num processo trabalhista com sentença em 2009, em 1ª instancia, foi dado rescisão indireta, mas só agora o juiz pediu, depois de transito, as anotações na minha CTPS. Tenho direito às guias de seguro desemprego e sacar o fgts?

    ResponderExcluir
  66. advogada mariana entendo que nas suas respostas aos leitores vc quiz a todo momento defender seus colegas, e na minha opinião, vc está se mostrando em muitas das respostas uma péssima proficional, pois eu não concordo em dar plenos poderes a uma pessoa que acabei de contratar para defender uma causa trabalhista, qualquer outra, e principalmente onde envolver muito dinheiro, entendo que decisões a ser tomada tem que haver concordância de ambas as partes. e na hora de receber o dinheiro têm que haver a assinatura do advogado e do cliente, junto ao banco;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo de 8 de setembro: quis é com "s"; profissional com "ss".
      De resto, acho que você não leu os posts com atenção, ou tem algo pessoal contra mim. Tanto faz.
      Todo mundo tem direito à sua própria opinião, e eu tenho direito de achar a sua imbecil!

      Excluir
  67. Olá Dr. Mariana , meu tio com minha mãe tinha uma empresa porém essa não foi fechada e meu tio está querendo se aposentar agora e não consegue , acabei assinado uma procuração AD Judicia para ela em nome de sua advogada ,sem ter sido especificado no final para que era , como li ,reli e pedi para ela devolver a procuração , e fazer uma outra especificando , pois bem foi feita , porém ela está me cobrado pela procuração e estou achando muito cara , gostaria de saber qual valor de uma procuração ? Sem contar que provavelmente o juiz terá que fazer outra para abrir inventária segundo a advogada falou e vai ser cobrada também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe isso de cobrar pelo ato de fazer a procuração. é o advogado que precisa da procuração para poder trabalhar.
      O que existe é a cobrança pelo serviço a ser executado.
      Alguma coisa não foi bem entendida. pergunte melhor para a advogada e faça um contrato! se não ficar satisfeita, procure outro advogado!

      Excluir
  68. Bom dia Dra. Mariana.
    Gostaria de uma ajuda, meu Pai tem um processo em andamento, porém ele faleceu a advogada dele pediu para nós filhos assinamos uma procuração e um contrato novo para ela na qual colocara nós como herdeiros. Porém não conhecemos a advogada e temos receio em assinar os documentos o contrato que meu Pai assinou na época a multa contratual é muito alta sendo inviável pagamos a multa e depois teremos que pagar um novo advogado, minha duvida é podemos pedir anulação do contrato assinado pelo meu Pai e ficarmos isento de pagar a multa?
    Obs: O processo já está ganho, porém falta a parte de execução pagamento e a advogada disse que esse procedimento pode levar mais 2 ou 3 anos.
    Agradecido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.
      melhor não assinar nada sem saber bem do que se trata. somente um profissional pode analisar realmente os termos do contrato, as circunst6ancias jurídicas e os processos que existem.
      O jeito vai ser contratar um advogado para dar um parecer. é o mais certo a fazer. mesmo que pague a consulta deste outro advogado.

      Excluir
  69. Boa Noite Mariana
    Gostaria de um esclarecimento seu
    a 7 anos contratei um advogado para me habilitar em um processo contra a união movida pelo meu pai que tinha falecido a 3 anos passado a importância foi dividido para os filhos e fui habilitada já que era filha. Os honorários dele foi 15%. Mas tinha 2 penhora nos autos, quando foi agora o juiz liberou estas duas penhoras e eu sem querer visitando o site da JF vi que estava liberando estes valores ele não me avisou nada e já nem lembrava de mim , mas fez o pedido de Alvará em meu nome. Soube que não preciso pagar nada já que ele recebeu quando me habilitou e fui indagar e ele disse que eu tinha que assinar uma procuração para receber e me cobrou mais 15 %. Gostaria de saber se tenho que pagar a ele ou só a petição que ele fez e qual foi a finalidade desta ultima procuração.
    no aguardo da resposta
    agradeço desde já

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. depende do acordo que você fez com ele. entendi que não tem contrato escrito, certo?
      peça para o advogado que vc contratou te explicar toda a situação; se não se entender com o advogado, vai ter que consultar com outro, levando cópia do processo e contando a história de forma detalhada. provavelmente, pagará pela consulta, que é bastante técnica. abs.

      Excluir
  70. Como faço para cassar o "direito de receber em quitar" dado em uma procuração? Há necessidade de uma petição junto à Vara? Como seria a redação?

    ResponderExcluir
  71. Boa noite, Dr Mariana , recentemente entrei com um pedido de retratação, e uma indenização por danos moral por ter sofrido ASSEDIO MORAL, na empresa que trabalhava, só que quando entrei no seu blog me assustei pois, na procuração que assinei tinha tudo aquilo que dizia no significado e agora posso cancelar este e refazer outro com o determinado por me. tirando o poder dele de;
    confessar, desistir, transigir firmar compromisso, e ate mesmo receber dinheiro.
    é como poderiam colocar ao invés destas palavras.

    ResponderExcluir
  72. Boa noite Dr Mariana,estou com uma duvida enorme.Passei todas informações para uma cliente ou seja deu uma assessoria.E a mesma fez uma acordo extrajudicial depois de 3 semanas junto ao Banco. Tenho direito de receber pela assessoria???Sendo que isso não foi mencionado no contrato..Aguardo resposta.abraços

    ResponderExcluir
  73. Foi acordado com a mesma,q pagaria no final do processo em caso de êxito na demanda os 20 por cento.sendo que não ocorreu o mesmo por conta do acordo extrajucial q a mesma fez com o Banco..Tenho algum direito??

    ResponderExcluir
  74. Há vinte e cinco anos mediante a morte de nosso Pai eu e minha irmã assumimos uma causa que esta prestes a ser deferida em nosso favor. Quando era vivo nosso Pai sempre nos pedia para que em sua ausência não fizesse acordo (pois ele sabia que seria um longo caminho), mesmo que esse acordo fosse para receber em dobro (pois na época que ele propôs acordo foi muito humilhado), e o que importava era a sentença do Juiz.
    Agora na reta final nosso atual advogado nos cerca falando que é muito dinheiro e que se ele quiser pode entrar em acordo.
    Posso caçar a atual procuração e constituir o mesmo advogado em uma nova procuração sem passar o direito para que ele faça o acordo? Para nós não importa que demande mais 25 anos ou que no futuro percamos a ação, o que apenas importa é honrar nosso Pai. Obrigado.

    ResponderExcluir
  75. sugiro - mesmo! - conversar bastante com seu advogado e expor os motivos que te levam a ter essa decisão. ouça o que ele vai te falar. ser intransigente pode, sim, ser muito ruim para você (juridicamente falando). "demitindo ou não seu advogado", acredito que ele tem valores a receber (pergunte para ele). se achar que não foi bem informada, faça uma consulta com outro advogado. o valor da consulta costuma ser de R$ 300,00, aqui no PR. em outro estado o valor pode ser diferente.
    se vc for do PR, eu posso trabalhar com vc. mas sugiro que fale antes com seu advogado.

    ResponderExcluir
  76. Olá Boa Tarde,dizem que existe uma Procuração criminal em meu nome mais eu não assinei nada e nem estou ciente de nada o que eu faço .

    ResponderExcluir
  77. Dr.mim adiciona maria.verdinho@hotmail.com

    ResponderExcluir
  78. Boa noite Dra. Mariana! Meu advogado não ta dando a mínima importância para meu processo de inventário não consigo falar com ele,ñ. encontro no eacritorio, ele tbm. não me liga para nada. Minha dúvida. é se tem possibilidade dele ter recebido o dinheiro do inventário sem me dar satisfação. Obrigado.

    ResponderExcluir
  79. fcs olá DR mariana recentemente mim separei e fiz uma procuração de divorcio no cartório da minha cidade e partilha de bens dei a parte da ex em dinheiro e fiquei com imóvel mas no momento estamos pensando em voltar mas ai vem a pergunta como que fica a procuração que nós fizemos ele volta ter direitos dos bens meus se nós reatar o casamento

    ResponderExcluir
  80. Bom dia ,Estou com uma duvida contratei um advogado para fazer a revisória,o processo foi a adiante e pediu mais alguns documentos porem o advogado não me comunicou o banco entrou com um liminar de busca e apreensão e o advogado novamente nada fez,o banco então mandou um termo de entrega amigável para quitação da divida o qual aceitei porem o advogado se recusa assinar a minuta de exclusão do processo pedindo honorários.o que posso fazer?

    ResponderExcluir
  81. Então gostaria muito que me responde-se uma dúvida eu contratei um advogado pessímo por sinal não atende minhas ligações e quando consigo falar com ele me trata super mau não sei mais o que fazer pra onde correr realmente to sem saída,vc sabe me dizer o que posso fazer.e quais são os meus direitos como cliente ,posso desfazer o contrato não me sinto mais segura com ele .desde já te agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre em contato com meu escritório : (41) 3319-7207 ou email contato@mdalonsoadvocacia.com.br

      Excluir
  82. Procurei um advogado para entrar com uma acao de oferecimento de alimento pars minha filha de 2 meses e regulamentacao de visitas, ele me deu uma procuracao dando amplos e ilimitados poderes ad judicia e NEGOTIA et extra. Nao especificou o motivo da procuracao e nao colocou validade nela.
    Pergunto: este NEGOTIA é necessaria para este tipo de acao?? Estou preocupado.

    Claudio.

    ResponderExcluir
  83. embora eu nao entenda de direito, o advogado me mandou uma procuracao para assinar e eu nao assinei e ele respondeu por mim,eu queria saber,ja que o processo estar ativo embora a advogada recebeu e me passou o valor que considerei baixo

    ResponderExcluir
  84. Fui ao sidicato para entrar com uma acao de apoesntadadoria especial,o advogado disse me que seria possivel.mas teria que entrar com o pedido no inss para depois entrar com a acao pois sabia ele que seria negada aposentadoria pelo innss, assim feito e assim fato.Voltei depois de hum ano com a negacao do inss ao advogado para impretrar processo.mas o mesmo havia mudado do sindicato, tive que entao dar uma carta em branco para o outro advogado assumir o caso..apos dez anos saiu a decisao a meu favor , com correcao da aposentadori e mais algum a receber como atrsado,porem meu advogado nao me informou nada absolutamente nada em todos esses anos com estava o andamento do meu processo, agora tenho que pagar 30% mais imposto de renda dele e diz que depois eu recupero isso., ha ai uma possibilidade de negociar ou nao, e ainda no inicio assinei uma carta de que nao poderia arcar com essa conta e aceito pela sr juiza conforme acordao, onde cita o fato, mesmo assim ele quer os trinta por cento mais o imposto dele renda pagoNao quero afirmar que o mesmo nao tenha que receber por seu trabahlo ,mas sim que devba se haver um a lei que impessa sair tao salgado ,pois o advogado sempre fica coma maior parte

    ResponderExcluir
  85. Eu tinha 02 processos de Inventário na Defensoria Publica, mas por orientação de um Advogado que me disse que ficaria pronto em 30 dias, eu acreditei e passei para ele no ano de 2008. Paguei R$2.000,00 referentes ao primeiro processo e o outro fiquei de pagar no final, quando saísse os valores que tinha para receber neste processo, os valores nunca fizeram parte deste processo, sempre foram trabalhistas. Quando o Setor de precatórios enviou os valores para a Vara de Órfãos, ele de imediato se interessou em olhar o processo, uma vez que já havia sido intimado várias vezes sem comparecer para cumprir com o que o Juiz pedia. Após isto, ele fez uma procuração cobrando 05% de cada herdeiro com amplos poderes e tirando totalmente o poder da Inventariante e também herdeira que sempre acompanhou o processo e teve gastos sozinha sem a ajuda de ninguém. Eu pergunto: Ele tem direito na causa trabalhista, uma vez que ele não trabalhou nesta causa que é de 1990. Os valores foram enviados à Vara de Órfãos e Sucessões, no meu entender para ser partilhado entre a quem de direito. Tem um imóvel que foi vendido antes do Inventário, mas entrou no Inventário, ele pode ser retirado do Inventário? O Advogado ficou de fazer Adjudicação em nome do novo Proprietário, agora ele cobrou mais R$500,00 por fora para fazer Usucapião, eu não estou concordando com isto, acho que a Adjudicação é mais rápida e ele não teria mais o que cobrar.
    O Advogado trabalhista já não recebe do Estado os seus honorários de Sucumbência? E se eu não assinar procuração para ele, eu posso ser prejudicada neste processo? Como devo proceder?
    Foi assinada Procuraçõo com o Advogado trabalhista, pois o mesmo me enganou dizendo que não havia recebido nada, e por isso assinei, eu estava sem Óculos e quando cheguei em casa, vi a besteira que fiz. Logo que percebi o que ele fez comigo, pedi revogação com AR., isso ainda dá o direito para que ele receba esses valores?
    Por favor preciso de uma resposta.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seria leviano da minha parte te orientar sem conversar com vc sobre a situação e esclarescer detalhes. Sempre que houver dúvidas sobre o andamento de um processo, será necessário pagar uma conslta a outro advogado para que ele possa verificar a situação e lhe passar uma orientação. Se vc estiver em Curitiba, eu posso lhe atender. Se estiver em outra cidade, sugiro procurar um advogado no site www.meuadvogado.com.br e marcar uma consulta. E, claro, se tiver possibilidade, converse com o advogado que já está constituído para esclarescer toda a situação. Você pode pedir um relatório de tudo que foi feito e, possivelmente, perceberá se o advogado atuou ou não com o devido zelo.
      Obs: os honorários de sucumbência não se confundem com os honorários que o cliente paga, estes são os contratuais e são devidos independente de haver ou não ganho de causa (exceto se for combinado de outra forma pelo cliente e advogado).
      No mais, é fundamental ter CONTRATO ESCRITO e ler antes de assinar qualquer coisa. Isso vale para todas as relações jurídicas, e não só com advogado!
      abs.
      Mariana Alonso
      (41) 3319-7207

      Excluir
  86. boa tarde drª, gostaria de saber como faço para retirar os "poderes" de uma determinada advogada de receber por mim o valor depositado fruto de um acerto com meu ex patrono na justiça do trabalho, estou insatisfeito com os serviços prestados pela mesma pois o dinheiro cai na conta em um dia "x" e ela demora quase 20 dias para repassar-me o valor.

    ResponderExcluir
  87. Gostaria de saber,ganhei um acordo com uma empresa e a juíza estipulou 20 dias uteis para fazer o deposito,porém a minha advogada que tem a procuração assinada por mim me informou que so irei receber daqui a 4 meses. Isso procede.

    ResponderExcluir
  88. Estou no processo final de inventário e meu irmão quer esperar a decisão da juiza para entra com um recurso.
    Não quero isso, pretendo acatar a decisão da juiza e pronto ....
    Posso pedir , quando for pagar os honorários do advogado, a revogação da procuração que eu dei para ele.
    Muito Obrigado

    ResponderExcluir

Seu comentário enriquece o conteúdo do blog! Sinta-se convidado a compartilhar idéias, dúvidas ou sugestões:-)